Blog Clara Nunes: Fevereiro 2011

07 fevereiro 2011

Busto de Clara na Portela

Sheron Menezes rainha da bateria e Nilo Figueiredo,Vice-presidente da Portela

A Portela realizou no último sábado mais uma edição da feijoada da família portelense só que essa que essa teve um sabor pra de especial: Foi inaugurado o busto da cantora Clara Nunes na entrada da quadra ao lado das imagens dos também baluartes e imortais da Portela Natal e Paulo da Portela . O evento que era aguardado com muita ansiedade por vários admiradores e fãs da cantora reuniu numa tarde ensolarada aproximadamente 20 mil pessoas que cantaram e dançaram ao som da Velha-Guarda da Portela grandes sucessos de Clara. O presidente da Portela Nilo Mendes Figueiredo abriu a cerimônia falando da importância de Clara Nunes para a nação portelense. – Ela foi muito importante para história da Portela- Merece esta homenagem- Disse o dirigente. O caso de amor entre Clara e a Portela era grande, mas ficou ainda mais forte quando no Carnaval de 1975 a cantora fez história como uma das primeiras mulheres a puxar o samba-enredo na Avenida. ‘Macunaíma, herói da nossa gente’, de autoria de Norival Reis e David Antônio Corrêa, foi interpretado por ela, pelo próprio David Corrêa, por Candeia e pelo puxador oficial da Portela, Silvinho do Pandeiro. Um desfile Inesquecível que marcou época. Clara Nunes, que faleceu em 1983, dá o nome da rua onde fica a quadra da escola, que é conhecida como Portelão , que fica no bairro de Madureira,zona norte do Rio de Janeiro. A Guerreira como era conhecida Clara Nunes, foi um dos mais importantes símbolos da Portela cantando a escola em verso e prosa, divulgando a agremiação por todos os lugares do mundo. Amigos , representantes da cidade natal de Clara Caetanópolis , compositores,personalidades da escola foram agraciados com a medalha Clara Nunes, entre eles, Wilson Moreira , Tia Surica, Carlos Reis(1º destaque da escola), Grupo Exporta Samba,Vagner Fernandes (Autor da biografia de Clara Nunes), Marquinhos de Oswaldo Cruz, Verinha da Portela entre outros. O projeto teve a parceria do Instituto Mais Memória, do escultor e professor Oseías Casanova Ferreira, com a Fundição de Ademar Alcântara e a Coordenação do Projeto de Nilo Mendes Figueiredo Junior, vice-presidente da Portela. Uma tarde que jamais vai sair da memória de quem pode presenciar este fato histórico.

Clara da Portela

CLARA NUNES É ETERNIZADA NA PORTELA Por Profº Izaias– 6 de fevereiro de 2011 Por Izaias Nascimento e César Romero. Blog Mais Memória

Numa tarde inesquecível a ícone do samba CLARA NUNES foi eternizada na quadra do Grêmio Recreativo Escola de Samba Portela, ao ser inaugurado o busto da cantora no Hall das Homenagens ao lado do fundador Paulo da Portela e de Natal baluarte e presidente inesquecível da agremiação.
Aproximadamente 20.000 pessoas prestigiaram a grande festa numa tarde emocionante que ficará marcada na história da Portela.
Por volta das 15h00 o Presidente Nilo Figueiredo, ladeado pelas ilustres visitantes: Ministro Lupi, Professor Celso Pansera da FAETEC, Noca da Portela e Toninho Nascimento compositores de Clara Nunes, Wilsom das Neves músico de Clara Nunes, Grupo Exporta Samba que atuou com Clara Nunes no Teatro Opinião, Escultor Oséias Casanova Ferreira, Tia Surica, Marquinhos de Oswaldo Cruz, Roberto Caldeira, direção do Instituto Mais Memória Professor Izaias Nascimento e Jornalista César Romero, Prefeito Romário da cidade natal Clara Nunes Caetanópolis – Sr. Romário Vicente Ferreira, familiares e amigos da cidade natal, imprensa e de muitos fãs e sambistas.
Após discurso do Presidente Nilo Figueiredo onde enalteceu CLARA NUNES pela brilhante carreira e relação histórica com a Portela, do Ministro Lupi falando também pela Presidente Dilma Roussef, onde citou a importância de Clara Nunes para a cultura nacional, foi inagurado o Busto, com a emocionante interpretação a capela do compositor Toninho Nascimento autor do samba Conto de Areia, cantado em coro por todos os presentes. A emoção tomou conta do Hall das Homenagens e não foi raro ver diversas pessoas chorando, emocionadas com o evento.
A festa seguiu na quadra, com a tradicional apresentação da Velha Guarda comandanda por Serginho Procópio, Guaraci e Tia Surica.
Em seguida foram chamados ao palco para homenagearem CLARA NUNES, cantando sambas históricos da cantora os seguintes intérpretes: Toninho Nascimento, Conjunto Esporta Samba, Stênio Barcellos do Conjunto Nossa Samba (falou de seus 16 anos de carreira acompanhando Clara Nunes) e Wilsom Moreira. Foto Blog Sidnei Resende – Geissa Evaristo.
Logo após, assistiram a uma apresentação no telão de fotos de CLARA NUNES e uma homenagem aos compositores.
Receberam a Medalha CLARA NUNES os seguintes agraciados: Presidente Nilo Figueiredo, Vagner Fernandes (autor livro biográfico Clara Nunes), Stênio Barcellos (Conjunto Nosso Samba), Wilsom das Neves (músico), Conjunto Exporta Samba, compositores Noca da Portela, Toninho Nascimento e Wilsom Moreira, Roberto Caldeira (assessor da artista), o produtor cultural Jorge Coutinho, parceiros do projeto Celso Pansera, Oscar Berro e Rossilênio Lopes, Prefeito de Caetanópolis Romário Vicente Ferreira, Márcio Guima(sobrinho de Clara Nunes) Professor Alberto Pereira Lopes, Verinha eterna Relações Públicas da Portela, Marquinhos de Oswaldo Cruz, destaque da Escola Carlos Dias e Tia Surica pela Velha Guarda da Portela. Foto Blog Sidnei Resende – Geissa Evaristo.
A família recebeu a camisa do Botafogo de Futebol e Regatas enviada pelo Presidente Maurício Assumpção com o nome de CLARA NUNES, visto que era uma notória botafoguense.
A festa continuou com lembranças de grandes sambas de Clara Nunes.
INSTITUTO MAIS MEMÓRIA RESPEITO À HISTÓRIA – RESPEITO AO BRASIL.

Vídeo da inauguração

Sandra-RJ

Fotos da inauguração

Quadra lotada sob forte calor
Carlos Reis e Sheron Menezes
Marcio Guima(sobrinho de Clara) e o prefeito de Caetanópolis Romário Ferreira
Toninho Nascimento, compositor de "Conto de Areia"

06 fevereiro 2011

Feijoada da Portela emociona a todos

Portela inaugura busto de Clara Nunes em tarde emocionante
Geissa Evaristo Carnavalesco 06/02/2011 00h49
Neste sábado, a Portela realizou mais edição da sua tradicional feijoada, porém, o dia teve um sabor especial: a inauguração do busto da cantora Clara Nunes na entrada da quadra ao lado das imagens dos também imortais portelenses: Paulo da Portela e Natal. O evento, que costuma reunir uma multidão nas tardes do primeiro sábado de cada mês, recebeu aproximadamente 20 mil pessoas.Clara Nunes, que faleceu em 1983, dá nome à rua onde fica a quadra da escola, em Madureira, e foi um dos mais importantes símbolos da Portela cantando a escola em verso e prosa, divulgando a agremiação por todos os lugares do mundo. Amigos e personalidades da escola próximos à cantora foram agraciados com a medalha Clara Nunes, entre eles, o músico Wilson das Neves, Monarco e Tia Surica.- Hoje fui homenageada porque vesti a Clara Nunes assim que ela chegou na escola. A medalha que ela recebeu foi mais que merecida, porque ela foi uma pessoa, que além de ser portelense, falou muito da Portela. Foi uma tarde muito emocionante e ela nunca será esquecida em nossa mente assim como o dia de hoje - disse Tia Surica.- Clara era uma portelense fiel, por isso ficou no nosso coração, deixou uma saudade muito grande - declarou Monarco, que chamou de ‘gol de placa’ a homenagem feita pela escola.
Foi no Carnaval de 1975 que a cantora fez história como uma das primeiras mulheres a puxar o samba-enredo na Avenida. ‘Macunaíma, heroi da nossa gente’, de autoria de Norival Reis e David Antônio Corrêa, foi interpretado por ela, pelo próprio David Corrêa, por Candeia e pelo puxador oficial da Portela, Silvinho do Pandeiro. - Ela foi uma guerreira do samba. E adorava brincar carnaval, não fazia exigências, sambava no chão, do lado da gente - relembrou Monarco.O projeto teve a parceria do Instituto Mais Memória, do escultor e professor Oseías Casanova Ferreira, com a Fundição de Ademar Alcântara e a Coordenação do Projeto de Nilo Mendes Figueiredo Junior, vice-presidente da Portela.
Adriana Lessa e Lucilene Caetano na feijoada da Portela no Rio
Elas participaram de homenagem à Clara Nunes.
Adriana Lessa e Lucilene Caetano estiveram na tradicional feijoada da Portela, neste sábado, 5, no Rio. A atriz, que é rainha de bateria da Imperador do Ipiranga, em São Paulo, prestigiou também a inauguração de um busto em homenagem à Clara Nunes. Depois da solenidade, Adriana foi para o meio da quadra mostrar samba no pé. http://ego.globo.com/Gente/Noticias/0,,MUL1646068-9798,00-ADRIANA+LESSA+E+LUCILENE+CAETANO+VAO+A+FEIJOADA+DA+PORTELA+NO+RIO.html
Guerreiros e Guerreira
Luis Carlos Magalhães LC Magalhães 04/02/2011 17h05
Falta muito pouco, mais uma vez. Alguns dias a mais e chega o carnaval.Tantas e tantas vezes faltou pouco, depois o dia chegou e nada aconteceu. Não conseguimos vencer.Houve uma vez que vencemos. Cantamos Clara, Paulo e Natal. Clara foi Iansã, Paulo Oranian e Natal foi Oxóssi.Não erramos nada. A Mangueira é a escola do povo. E quando ela canta um filho do povo e pega na veia, sabemos bem o resultado. Mangueira venceu a nossa vitória, e não dá para esquecer.E vida que segue, quantas vezes fizemos isso com ela ao longo de tantos desses anos?Mas ali faltou muito pouco.Paulo, Natal e Clara.
Agora Clara está de volta para casa. Ao ser inaugurado, seu busto estará ao lado de Paulo e de Natal; juntos como naquele ano distante.Quando chegar o carnaval a Mangueira mais uma vez cantará um filho seu, um filho do povo.A nós, caberá cantar o mar; azul como somos... imenso como somos... 11Cantaremos também o céu; azul como somos... maior do que somos.E vocês estarão lá, com suas bandeiras, suas faixas.Parece um sinal: os três ali na entrada principal...A última vez que a vimos já faz quase 30 anos. Quase 50 mil pessoas, no Portelão, dizendo aquele adeus tão dolorido. Todo mundo sem saber direito, se perguntando, o que havia acontecido.E você virou então para nós "Portela na Avenida". Virou "Sabiá": "que falta fez sua alegria!".
Parece, Guerreiros, que a Guerreira voltou com uma missão. Como aqueles guerreiros das arquibancadas que vocês são. Como aqueles guerreiros da web que estão a seu lado.Trazer a luz! Luz, pois é ela que nos falta. Para identificarmos nossos erros, fortalecer nossos caminhos à vitória e a guarda e defesa de nossas tradições.Não paramos de cantá-la, nunca, Guerreira. E não vamos parar nunca.Em cada "esquenta", cada feijoada, em cada roda de samba de nossa cidade. Parecendo invocar sua alegria, sua presença, seu sorriso pequeno... tão grande.Os Guerreiros, todos, acreditam sempre, a cada ano. Mesmo quando é tão difícil acreditar.Vai ser bonito, Guerreira. Ver você, Paulo e Natal juntos em nossa casa.Tomara que os Guerreiros façam a bandeira mais bonita de todas.
Como aquele manto azul da padroeira do Brasil.Paulo, a racionalidade, a visão de longe, de cima; Natal a paixão, a entrega, o arrebatamento a qualquer preço.Você... a nossa alegria. Uma alegria que já não temos tanta. Que bom que você voltou.Para tornar a entrada de nossa casa mais radiosa; iluminá-la mais ainda.Para que nos mantenhamos assim como somos, para sempre...Quem sabe para tornar nosso caminho, nossa busca mais corajosa...Ou nos trazer alegria de volta...E-mail para contatos mais longos: lcciata2@hotmail.com

04 fevereiro 2011

Grande homenagem na Portela

Foto divulgação
Clara Nunes terá busto inaugurado na quadra da Portela, com show e feijoada em Madureira

POR SARA PAIXÃO

Rio - Um amor além da vida. Assim pode ser definida a relação entre Clara Nunes e a Portela. A cantora, que morreu em 1983, dá nome à rua onde fica a quadra da escola, em Madureira e, a partir de amanhã, ganha um busto na entrada, junto às estátuas dos imortais Paulo da Portela e Natal.

“Clara era uma portelense fiel, por isso ficou no nosso coração, deixou uma saudade muito grande”, declara Monarco, que chama de ‘gol de placa’ a homenagem feita pela escola. Foi no Carnaval de 1975 que a cantora fez história como uma das primeiras mulheres a puxar o samba-enredo na Avenida. ‘Macunaíma, herói da nossa gente’, de autoria de Norival Reis e David Antônio Corrêa, foi interpretado por ela, pelo próprio David Corrêa, por Candeia e pelo puxador oficial da Portela, Silvinho do Pandeiro. “Ela foi uma guerreira do samba. E adorava brincar Carnaval, não fazia exigências, sambava no chão, do lado da gente”, relembra Monarco. Ao lado da Velha Guarda da Portela, ele vai se apresentar no show, que ainda terá Marquinhos de Oswaldo Cruz, entre outros. Durante a Feijoada da Família Portelense, amigos próximo da cantora, como o músico Wilson das Neves, serão agraciados com a Medalha Clara Nunes. Serviço FEIJOADA DA FAMÍLIA PORTELENSE. Quadra. Rua Clara Nunes 81, Madureira (2489-6440). Amanhã, a partir das 13h. Entrada R$ 10. Prato da Feijoada: R$ 15. Livre.

O Dia online

CLARA NUNES – ETERNA GUERREIRA DA PORTELA

Por Izaias Nascimento

O Instituto Mais Memória apresenta uma série de depoimentos de CLARA NUNES, onde constatamos a extraordinária pessoa e profissional antenada com seu público. São palavras que geram um sentimento de saudade, mas que nos faz refletir o quão magnífica foi a cantora que o país tanto ama.

SUA MÚSICA

“-Eu sou uma cantora popular que canto as músicas do meu país. Tudo o que for autêntico, eu estou aí. Samba-canção, samba, modinha, valsa, não existe nada que eu não goste. Sou meio bobona com a Música Popular Brasileira, com os compositores. Gosto de tantos… É uma gente maravilhosa que sabe dizer música e letra ao mesmo tempo, de tal maneira que prende a gente a noite inteira, só cantando, só escutando.“

MISSÃO

“Eu tenho a grande missão de cantar. Eu acho que todas as pessoas têm uma missão; a gente está aqui nesse mundo, ninguém está passeando ou passando férias, está todo mundo aqui cumprindo um compromisso já assumido em outras vidas, eu entendo assim.”

RELIGIÃO

Contribuo com a religião gravando-a em minhas músicas, isso ajuda a parte espiritual. Uso branco por que gosto e os colares são minhas guias.”

POVO

“Eu acho que o que há de verdadeiro, o que há de mais puro, o que há de mais sincero e mais espontâneo, que é a força realmente, é o povo. Então, não adianta você querer ir de encontro ao povo, você tem que trazer o povo até você. Então para mim, Clara Nunes, o povo é tudo. Eu hoje sou uma pessoa muito diferente, muito mais consciente e mais feliz.”

VIDA

“Ainda estou na metade do meu caminho, mas sei que vou até o fim”.

Saudades da legião de fãs. Muitos estarão no Portelão na inauguração do Busto, tão esperado e que certamente levará muita alegria aos portelenses e brasileiros em geral.

INSTITUTO MAIS MEMÓRIA

RESPEITO À HISTÓRIA – RESPEITO AO BRASIL