Blog Clara Nunes: Novembro 2008

24 novembro 2008

Troféu

Eis o Troféu Clara Nunes da cidade
de Osasco-SP para o Carnaval 2009.
Este,acima, saiu para a Escola Pavão de Osasco,
prêmio de revelação para o intérprete Leonardo Moreira.

22 novembro 2008

CD Clara Nunes:Sempre!

Clara Nunes: cantora com alma Para Sempre, Clara Nunes (Som Livre)
Cantora mineira que morreu em 2 de abril de 1983, por causa de complicações numa cirurgia para retirada de varizes, Clara Nunes pertencia a uma classe rara de intérpretes brasileiras. Cantava com a alma um repertório que ia do samba-canção ao afoxé – sem nunca fazer pose de diva como as atuais cantoras "ecléticas". A compilação Para Sempre dá apenas um gostinho do enorme talento de Clara. Faltam, por exemplo, as canções de Nelson Cavaquinho, compositor cujo repertório se destacou na carreira da artista. Em compensação, estão ali sucessos radiofônicos como O Mar Serenou e Morena de Angola. Como a EMI, companhia pela qual Clara Nunes lançou todos os seus discos, não se dignou a recolocar seus álbuns em catálogo, essa compilação vem a calhar. (Revista Veja)

13 novembro 2008

Caricatura

O Blog recebeu esta bela caricatura de Clara Nunes feita pelo
paulista Orlando Alves,artista que aceita encomenda pelo e-mail: orlandocartoon@yahoo.com.br.

12 novembro 2008

Crônica

Clementina de Jesus, Hermínio Bello de Carvalho,
Clara Nunes e Paulinho da Viola.
Foto: Editora Edições de Ouro-Google book
Crônica de 2001 no site do acervo Hermínio Bello de Carvalho
Clara Nunes

Início de carreira, Clara começava a despontar. Musicalíssima, voz extremamente bonita, confessava que seu modelo artístico era o da Divina Elizeth, que, muitos anos depois, seria madrinha de sua união matrimonial com o maravilhoso letrista Paulo César Pinheiro. Estávamos todos hospedados no Normandie de São Paulo, hotel cativado pela TV Record para os artistas de fora. Vou para o apartamento de Linda Batista, peço a Aracy de Almeida que me apanhe lá (Denner viria pegar-nos para uma esbórnia noturna pela Paulicéia) e o encontro das velhas colegas de rádio deságua numa cantação de sucessos, Araca lembrando tangos antológicos – dá para imaginar? – e Linda embarcando de Lupicínio.
Isso me anima a chamar Clarinha: “Clara, vem pra cá!” Os uísques desciam fartos, tanto quanto as lágrimas que eu e Clarinha derramávamos de emoção, até que avisam que Denner já nos esperava à porta do hotel em seu suntuoso Cadillac. Convido Clara para nos acompanhar (Linda tinha outros compromissos). Clarinha, claro, não era de dizer não a essas esbórnias, e além do mais estávamos todos triscados.
E lá foi ela retocar maquiagem, ajeitar os cabelos (que eram fartos, farfalhantes, maravilhosos), uma cabeça espaventosa, enfim. Araca, ciumenta e exclusivista, demonstrou que lhe desagradara o convite, feito à sua revelia. Quando Clarinha finalmente chegou ao carro, Araca destilou seu veneno mais letal:

– Clarinha, meu amor, você está linda assim. Mas não dá pra arriar um pouco essa capota e jogar fora essa peruquinha cafona? A reação de Clara (ainda desacostumada a dizer palavrão) foi inusitada: – Aracy, vai tomar... vai tomar... vai tomar... no seu botão! E, claro, incontinenti, voltou pro hotel. Dona da situação, Araca ordena: – Eu adoro a Clarinha. Vamos embora, Bello Hermínio?
Acervo online de Hermínio Bello de Carvalho

07 novembro 2008

Troféu Imprensa

Fotos, fonte: mercadolivre.com
Clara Nunes recebendo Troféu Imprensa de 1976 no Programa
Silvio Santos, na época Tv Globo. Durante os anos 70 Clara foi recordista
também do Troféu Imprensa: foi consagrada melhor cantora
nos anos 1974 - 1975 -1976 .

"Eu acho que todo troféu é muito importante na vida de um artista,
não só do artista como todas as pessoas".(Clara )