Blog Clara Nunes: Novembro 2012

30 novembro 2012

Clara - imperdível no Canal Brasil



SÉRIE INÉDITA CLARA ESTREIA DIA 1º DE DEZEMBRO NO CANAL BRASIL

Idealizada e roteirizada por Vagner Fernandes, biógrafo da cantora mineira, série de cinco episódios estreia neste sábado, 1º de dezembro, com direção de Darcy Burger

A partir do próximo sábado, 1º de dezembro, o Canal Brasil exibe a série inédita “Clara”. Dirigida por Darcy Burger, a atração foi idealizada pelo jornalista e escritor Vagner Fernandes, autor de Clara Nunes, Guerreira da Utopia. A intérprete, que em 2012 completaria 70 anos, tem vida e obra resgatadas na série. Em cinco episódios de 25 minutos cada, o programa traça uma biografia da cantora mineira por meio de textos, fotografias, entrevistas e vídeos.

“Clara Nunes é uma personagem extremamente importante para a compreensão do processo evolutivo da música brasileira. Esta série é o primeiro registro documental audiovisual da cantora, tornando-se, desde já, em uma fundamental referência para pesquisadores e estudiosos da música brasileira e também para as novas gerações”, explica Vagner Fernandes.

O projeto apresenta toda a trajetória da artista, retratando sua infância e adolescência na então cidade do Cedro (atual Caetanópolis), interior de Minas Gerais; as primeiras apresentações; o sucesso nas rádios e TVs de todo o país e a morte precoce, aos 40 anos de idade. Clara Nunes ficou consagrada ao abraçar o samba como o gênero musical e revolucionou a indústria fonográfica, tornando-se a primeira mulher a romper as barreiras impostas pelas gravadoras e uma das maiores vendedoras de discos de todos os tempos.

“Esse é, sem dúvida, um projeto de absoluta importância. E por isso, vamos editar o material e transformá-lo em um média ou um longa-metragem para o cinema, que receberá o mesmo nome do programa”, avisa Darcy Burger.
Além de traçar um panorama da vida e obra da cantora, a série

“Clara” exibe 48 entrevistas inéditas de amigos e familiares da artista. Entre eles estão Paulinho da Viola, João Bosco, Milton Nascimento, Wagner Tiso, Bibi Ferreira, Eduardo Araújo, Agnaldo Timóteo, Agnaldo Rayol, Fernando Faro, Jair Rodrigues, Monarco, Tia Surica da Portela, Adelzon Alves, Alcione, José Messias, Wanderléa, Leda Nagle e Maria Gonçalves, irmã da artista.

Serviço – Clara
Estreia: 1º de dezembro, sábado, às 21h30
Horários alternativos: domingo, às 11h; terça, às 18h15 e quarta, às 07h.
Classificação etária: livre
www.canalbrasil.com.br

Série do Canal Brasil a partir de 01 de dezembro



Série sobre vida e obra de Clara Nunes estreia no Canal Brasil


DE SÃO PAULO

"Uma das maiores cantoras brasileiras do momento e das que tem mais possibilidade de fazer uma grande carreira, um grande caminho na canção popular do Brasil."
É a voz do compositor Vinicius de Moraes -retirada de gravação do show "Poeta, Moça e Violão", de 1973- que abre a série "Clara", cujo capítulo de estreia vai ao ar amanhã no Canal Brasil.
"Quando Vim de Minas", primeiro dos cinco episódios do documentário, costura material de arquivo a depoimentos de amigos e familiares de Clara Nunes, que completaria 70 anos em agosto. Ela morreu aos 40 anos, no ano de 1983.
Divulgação
Clara Nunes no "Programa do Chacrinha"
Clara Nunes no "Programa do Chacrinha"
Paulinho da Viola e Maria Gonçalves, irmã da intérprete, são dois dos 48 personagens que reconstituem a breve trajetória da cantora mineira, uma das maiores vendedoras de discos da indústria musical brasileira.
"Eu queria fazer um trabalho audiovisual sobre vida e obra da Clara para que as novas gerações pudessem ter contato com o seu legado", explica Vagner Fernandes, idealizador da série e autor da biografia "Clara Nunes - Guerreira da Utopia".
Dirigido por Darcy Burger, o programa será transformado em filme. (mayra maldjian)
NA TV
Clara
Estreia da série no Canal Brasil
QUANDO amanhã, às 21h30
CLASSIFICAÇÃO livre

Folha de São Paulo 

28 novembro 2012

Clara - Canal Brasil


Clara Nunes vira série de TV

Jornal do Brasil No próximo sábado, 1º de dezembro, às 21h30, estreia no Canal Brasil a série "Clara", idealizado por Vagner Fernandes. É o primeiro trabalho documental audiovisual sobre a vida e a carreira de Clara Nunes.
Inspirada na biografia "Clara Nunes, guerreira da utopia", a série terá cinco episódios e traçará um panorama da trajetória de uma das maiores cantoras de todos os tempos da música brasileira. Se estivesse viva, estaria completando 70 anos em 2012.
Clara Nunes
Clara Nunes

22 novembro 2012

Canal Brasil traz documentário em 5 capítulos

21/11/2012 - 11:35

CLARA estreia dia 1 de dezembro

A biografia de Clara Nunes, uma das maiores cantoras brasileiras, contada em cinco episódios. Estreia dia 01 de dezembro, às 21h30.

Clara Nunes (Foto: divulgação)Clara Nunes (Foto: divulgação)
A atração é inspirada no livro Clara Nunes, Guerreira da Utopia, do jornalista e escritor Vagner Fernandes.

A cantora, que em 2012 teria completado 70 anos, tem sua obra resgatada na série dirigida por Darcy Burguer.

O programa tem como objetivo criar uma biografia por meio de textos, fotografias, entrevistas e vídeos.

O projeto aborda todo o caminho da artista, retratando sua infância e adolescência na pequena cidade de Cedro (MG); as primeiras apresentações; o sucesso nas rádios de todo o país; e a morte precoce, aos 40 anos de idade.

Clara ficou consagrada ao abraçar o samba como o gênero musical. O registro reconhece a necessidade de documentar a trajetória dessa emblemática intérprete, afinal a ausência de material sobre ela é um dos aspectos mais criticados por seus fãs.

O trabalho exibe 48 entrevistas inéditas de amigos e familiares da homenageada. Dentre os depoentes, estão nomes como Chico Buarque, Maria Bethânia, João Bosco, Djavan, Paulinho da Viola, Miúcha, Edu Lobo, Milton Nascimento, Bibi Ferreira, Agnaldo Rayol, Erasmo Carlos, Monarco, Dona Ivone Lara, Paulo César Pinheiro, Marisa Monte, Martinho da Vila, Zeca Pagodinho, Leci Brandão, Beth Carvalho, Alcione, Nana Caymmi e suas irmãs Maria Gonçalves e Ana Filomena, dentre outros.

Órfã de pai e mãe, Clara sempre sonhou em construir uma carreira. Aos 16 anos, foi morar em Belo Horizonte, onde venceu o concurso A Voz de Ouro do ABC. Já em 1966, gravou seu primeiro vinil: A Adorável Voz de Clara Nunes. A aproximação com o samba a fez alcançar o tão almejado sucesso, além de repercussão internacional.

Clara Nunes revolucionou a indústria fonográfica, tornando-se a primeira mulher a romper as barreiras impostas pelas gravadoras e uma das maiores vendedoras de discos de todos os tempos.

Fonte: Canal Brasil 
Estreia: sábado, dia 01/12, às 21h30.

20 novembro 2012

Em Sabará - MG




Grupo Camafeu revive e trará memórias afetivas do samba e da arte negra no dia 20 no Teatro Municipal de Sabará

Clara Nunes completaria 70 anos em 2012. Aliás, um ano especial para  a música brasileira, não só do samba. Grandes nomes  da música estão sem sua sétima década de vida e estão recebendo homenagens, justas por sinal, de vários cantos do Brasil. A histórica Sabará fez sua parte e trará no dia 20 de novembro, no Teatro Municipal de Sabará, a partir das 20h,  Betinho Moreno (7 cordas), Bruno Cupertino (percussão) e Hamilton Ferreira (pandeiro), além de músicos convidados. A proposta é relembrar, reler e trazer aos amantes do samba e da obra de Clara uma lembrança afetiva intensa do quão essa mineira de Caetanópolis foi importante para a definitiva entrada do samba no imaginário popular.

09 novembro 2012

Em Niterói


Cultura
Enviado por Redação 8/11/2012 20:49:21
Robertinha do Recife interpreta Clara Nunes em musical que está em cartaz no Centro Cultural Abrigo dos Bondes (Foto: Divulgação) ::

Tributo a Clara Nunes

Estreia, hoje, no Centro Cultural Abrigo de Bondes, eno Centro de Niterói, o espetáculo musical ‘Um ser de luz - Tributo a Clara Nunes’, em homenagem à trajetória musical de um dos maiores mitos da música brasileira, a saudosa Clara Nunes. 

Em um botequim, Ataulfo Alves, João Nogueira, Paulinho da Viola e Paulo César Pinheiro encontram-se para relembrar, através da música, a carreira da grande estrela interpretada por Robertinha do Recife. Através das músicas executadas durante o musical, fãs poderão matar a saudade da inesquecível Clara Nunes. 

O espetáculo pretende levar ao palco a beleza e a genialidade da voz, carisma e todo o poder de sedução da saudosíssima Clara Nunes.


http://www.osaogoncalo.com.br/site/cultura/2012/11/8/46343/tributo+a+clara+nunes+

03 novembro 2012

As cantoras lembram Clara


Três cantoras celebram com brilho os 70 anos da mineira Clara Nunes

As paulistas Fabiana Cozza e Virginia Rosa e a baiana Mariene de Castro fazem shows com repertório de peso

03 de novembro de 2012 | 7h 00
Lauro Lisboa Garcia

Neste 2012 em que se celebram os 70 anos de respeitáveis ídolos transformadores da música brasileira - Caetano Veloso, Gilberto Gil, Tim Maia, Paulinho da Viola, Milton Nascimento, Jorge Ben, Nara Leão -, Clara Nunes (1942- 1983) tem recebido belas homenagens por outras cantoras, que de alguma forma influenciou.
A baiana Mariene de Castro - Divulgação
Divulgação
A baiana Mariene de Castro
As paulistas Fabiana Cozza e Virginia Rosa e a baiana Mariene de Castro (todas trajando branco como a homenageada) são protagonistas de dinâmicos shows com repertório de peso, incluindo sambas clássicos como O Mar Serenou (Candeia), Conto de Areia (Romildo/Toninho Nascimento), Portela na Avenida e Canto das Três Raças (ambos de Mauro Duarte/Paulo Cesar Pinheiro), Feira de Mangaio (Sivuca/Glorinha Gadelha) e Coisa da Antiga.
Virginia Rosa Canta Clara, que encerrou temporada no Teatro Cleyde Yáconis na semana passada, e Canto Sagrado, de Fabiana, que lotou o Auditório Ibirapuera há duas semanas, têm planos de seguir em outros palcos. Mariene fez sessão única no Espaço Tom Jobim, no Rio, para gravar o DVD Ser de Luz.
Tributo de um intérprete a outro sempre é complicado, porque as comparações são inevitáveis e não raro soam como jogadas oportunistas, já que a força dos ídolos influentes é sempre maior que a dos seguidores (vide Elis Regina - Maria Rita). No entanto, Virginia, Fabiana e Mariene, ligadas pela força dos orixás, jogam luz sobre a diversidade de Clara além do samba e a trazem para universos sonoros pessoais, fugindo de imitações.
Virginia transita com desenvoltura pelo afro-pop, com toques de samba-jazz e improvisos criativos. Fabiana baila (com elegante trabalho corporal de J.C. Violla) com um pé no samba e outro no terreiro do candomblé. Mariene - que não tem influência direta de Clara, como já declarou - busca referências na baianidade e na cultura popular que apimentam o legado da homenageada, "essa senhora dos ventos que cantou a Bahia lindamente".
As três, no entanto, cometem o mesmo errinho à toa em Conto de Areia, cantando "desfia colares de contas", em vez de "colares de conchas". No caso de Mariene várias canções tiveram de ser repetidas por conta de pequenos deslizes na hora da gravação.
Morena de Angola (Chico Buarque) foi a que mais deu trabalho. Mesmo acompanhando os versos projetados num monitor de vídeo ao fundo da plateia, a cantora derrapou diversas vezes na intricada letra, cheia de aliterações e assonâncias. Bem-humorada e radiante, porém, reverteu o problema a seu favor e quando finalmente conseguiu cantar a letra inteira, depois de seis tentativas, teve uma ovação do público, o que surtiu grande efeito.
As participações de Zeca Pagodinho em Coisa da Antiga (Wilson Moreira/Nei Lopes) e Diogo Nogueira em Juízo Final (Nelson Cavaquinho/Elcio Soares) não fizeram grande diferença. Mariene tem brilho próprio. No número final, Um Ser de Luz (Mauro Duarte/Paulo Cesar Pinheiro/João Nogueira), caiu num choro profundo que mexeu com o público. "A emoção é linda, mas quero fazer bem feito", disse ela na tentativa de repetir a canção, mas nem o diretor nem a plateia acharam que precisava. Foi comovente.
PROGRAMA NA TEVÊ E SHOW NA POMPEIA
O show Ser de Luz, de Mariene de Castro, com arranjos de Alceu Maia e produzido pelo Canal Brasil em parceria com a gravadora Universal, vai ao ar no dia 1º de dezembro, às 21h30, como ponto culminante de uma série de homenagens a Clara Nunes no canal pago. Um dia antes, ela se apresenta no Sesc Pompeia, cantando as músicas de seu novo e bom álbum, Tabaroinha. O show tem outra sessão no dia 1º/12. Na gravação do programa em homenagem a Clara, Mariene interpretou algumas canções do novo álbum que devem entrar como bônus no DVD. Uma das vozes mais expressivas da Bahia contemporânea, a cantora baiana e toda a banda, com maioria de músicos conterrâneos seus, passaram um mês no Rio ensaiando o show. "Entendo hoje a saudade que o Brasil sente dela", disse. / L.L.G.

Jornal Estado de São Paulo