Blog Clara Nunes: Junho 2013

25 junho 2013

São Paulo tem Fabiana Cozza com sua homenagem à Clara Nunes








Fabiana Cozza agendou para 2 e 3 de agosto de 2013 a gravação ao vivo de Canto sagrado, o show que idealizou e estreou em 2012 para celebrar os 70 anos do nascimento da cantora mineira Clara Nunes (1942 - 1983). O registro do espetáculo - em que Cozza dá voz a músicas como Meu sapato já furou (Mauro Duarte, 1974), A deusa dos orixás (Romildo Bastos e Toninho Nascimento, 1975), Feira de mangaio (Sivuca e Glorinha Gadelha, 1977 e Novo amor (Chico Buarque, 1982) - vai ser feito em apresentações no Auditório Ibirapuera, em São Paulo (SP). Na sequência da gravação, Cozza - em foto de Manoel de Brito - traz o show ao Rio de Janeiro (RJ) em apresentação única agendada para 10 de agosto de 2013 na Sala Baden Powell.




Fabiana Cozza em: Canto Sagrado / GRAVAÇÃO DVD

Data: 02 e 03 -08-2013 às 21:00
Local: Auditório Ibirapuera

Fabiana Cozza em: Canto Sagrado - 70 anos de Clara Nunes

Data: 10-08-2013 às 20:00
Local: Sala Baden Powell / Rio de Janeiro

Mais uma homenagem vinda do Nordeste: Valéria Oliveira

Cantora Valéria Oliveira lança o tão esperado CD em águas claras em homenagem à Clara Nunes

GRANDE SHOW DE LANÇAMENTO DO CD EM ÁGUAS CLARAS DE VALÉRIA OLIVEIRA
Foto: Divulgação
Valéria Oliveira lançará o tão aguardado CD em águas claras em homenagem à Clara Nunes com patrocínio da COSERN e do Governo do Estado por meio da Lei Câmara Cascudo de Incentivo à Cultura. O Maestro e gaitista Rildo Hora, que assina a produção musical e a maior parte dos arranjos do CD, é presença confirmada e fará uma participação especial no show de lançamento, dia 11 de julho, no Teatro Riachuelo, em Natal.
Com 22 anos de carreira, Valéria Oliveira tem um histórico de importantes realizações em prol da música e do artista potiguar. Ela foi a idealizadora do Projeto Retrovisor e do Projeto sem perder o passo, que tem como objetivo o fortalecimento da produção autoral na cidade.
Foi de Valéria também a ideia do Projeto Música NO AR que visa valorizar o artista potiguar por meio do intercâmbio cultural com artistas com carreiras consolidadas em outras cidades brasileiras e conhecidos nacionalmente. Dentro dessa linha de intercâmbio cultural, Valéria também criou MPB JAZZ que acaba de ser contemplado com o patrocínio da COSERN e do Governo do Estado via Lei Câmara Cascudo para a terceira edição que ocorrerá ainda este ano.
Com o Música NO AR, Valéria Oliveira foi a primeira artista com carreira desenvolvida na cidade a produzir um show musical no Teatro Riachuelo quebrando o tabu de que o teatro era inacessível para o artista potiguar com produções locais. Com o show de lançamento do CD em águas claras, Valéria bate recorde de apresentações musicais (quatro) como atração principal naquele Teatro.
A potiguar já representou a música do Rio Grande do Norte no Festival SXSW em Austin – Texas, em diversos clubes de Jazz em New Orleans, em temporadas na Suiça e em diversos locais no Japão incluindo a famosa casa noturna Blue Note, onde dividiu o palco com Wanda Sá. No Brasil, Valéria Oliveira teve a honra de dividir o palco com Ademilde Fonseca, Dona Ivone Lara, Monarco e a Velha Guarda da Portela, Leila Pinheiro, Daúde e Joyce, entre outros.
O time de bambas natalenses que acompanha Valéria Oliveira no show em águas claras é formado por Jubileu Filho (baixo/trompete/violão de 12 e vocal), responsável também pela direção musical do show; Alexandre Moreira (violão de 7 e bandolim); Cacá Veloso (violão de 6); Raphael Almeida (cavaquinho e bandolim); Rogério Pitomba (bateria); Del do pandeiro (pandeiros e vocal); Aluízio Pisão (percussão); Kelliney Silva (percussão e vocal); Ângela Castro, Tiquinha Rodrigues e Alexandre Piter (vocais) e tem ainda as participações especiais dos respeitados músicos Zé Hilton, na sanfona, e Willames Costa no contrabaixo acústico.
Como já é marca registrada nos shows da potiguar Valéria Oliveira, os ingressos sociais para a democratização do acesso à cultura, desta vez contemplará 150 pessoas das comunidades de Sibaúma, Pipa, Tibau, Pernambuquinho, Cabeceiras, Manimbu, Bela Vista, Piau, Umarí do projeto Somos Saúde e 50 jovens de outros projetos incluindo a Ilha de Música e Casa do Bem, totalizando a distribuição gratuita de 200 ingressos sociais.
Serviço:
Lançamento do CD em águas claras de Valéria Oliveira
Teatro Riachuelo
11 de julho de 2013 às 21h
Valores dos ingressos:
Pista: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia entrada)
Plateia, Frisa e Balcão Nobre: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia entrada)
Camarote: R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia entrada)
Patrocínio: COSERN, Governo do RN e Lei Câmara Cascudo
Apoio Cultural: Villa Park e 88,9 FM Universitária
Realização: Green Point
Informações para a imprensa: Mônica MacDowell 99889421
Sobre o CD
Nomes de grandes músicos do universo do samba estão presentes no CD como Carlinhos 7 cordas, Marcos Esguleba, Pretinho da Serrinha, Jamil Joanes, Camilo Mariano, Hulk, e Misael da Hora, músicos do Rio de Janeiro, e Del do Pandeiro e Jubileu Filho, de Natal, que acompanham Valéria desde o início do projeto em águas claras. Nos vocais, Maestro Bruno Leonardo, Patrícia Hora e Nina Pancevsky.
Gravado na Companhia dos Técnicos no Rio de Janeiro e no Megafone em Natal, o processo de gravação proporcionou um produtivo intercâmbio cultural entre os músicos das duas cidades.
O CD em águas claras conta ainda com a participação especial de Monarco e da Velha Guarda da Portela na faixa “Jardim da Solidão” e com as participações do Maestro Rildo Hora, Márcio Vanderlei, Zé Hilton, Antônio de Pádua, Willames Costa, Jotapê, Alexandre Moreira, Cacá Veloso, Raphael Almeida e Kelliney Silva que dão um toque especial ao CD. Participam ainda dos vocais, Ângela Castro, Tiquinha Rodrigues e Alexandre Piter e alguns amigos de Valéria no coro popular nas faixas Portela na Avenida e Alvoroço no Sertão.
O repertório, fruto de pesquisa iniciado por Valéria em 2008, inclui alguns clássicos como “Tristeza pé no chão” (Armando Fernandes), “Canto das três raças” (Mauro Duarte/Paulo César Pinheiro), “Você passa eu acho graça” (Ataulpho Alves/Carlos Imperial), “Conto de areia” (Romildo/Toninho), “O mar serenou” (Candeia), “Juízo final” (Nelson Cavaquinho/Élcio Soares), “Minha Missão” (João Nogueira e Paulo César Pinheiro), “Portela na avenida” (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro), “Um ser de luz” (João Nogueira, Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro) e “Mineira” (João Nogueira e Paulo César Pinheiro).
Estão presentes também no CD outras pérolas que não foram tão difundidas na voz de Clara como “Casinha Pequenina” (domínio público); “Apenas um Adeus” (Edil Pacheco/Paulinho Diniz/Roque Ferreira); “À Flor da Pele” (Clara Nunes/Maurício Tapajós/Paulo Cezar Pinheiro); “Alvoroço no Sertão” (Aldair Soares/Raymundo Evangelista); “Puxada da rede do xaréu” (Maria Rosita Salgado Góes); “Basta um dia” (Chico Buarque) e “Jardim da Solidão” de Monarco.
O encarte do CD em águas claras, assinado pelo potiguar Jorge Henrique, traz recortes de um passado de Clara Francisca em Caetanópolis, cidade natal da mineira, imagens da casa em que ela nasceu e passou a infância, além de peças e matrizes de tecidos expostos no museu Têxtil Décio Mascarenhas, da Fábrica do Cedro, onde Clara, seguindo os passos da família, iniciou sua carreira profissional como tecelã. Valéria Oliveira recebeu o aval de Dona Mariquita, irmã e madrinha de Clara Nunes, para a realização da homenagem e diversas pessoas da terra natal da sabiá mineira já confirmaram a presença no lançamento incluindo o jornalista e escritor Newton Vieira que assina a apresentação do CD.
Mônica Mac Dowell
[monica@greenpoint.art.br]